Páginas

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Aprendendo a agradecer e a aceitar...

Aprendemos que devemos ser gratos por todos os acontecimentos de nossas vidas.
 
Devemos agradecer pela água que no sacia a sede, pelo sol que nos aquece, pelo oxigenio que nos dá vida, presentes que Deus beneficia a todos os seus filhos, sejam eles bons ou ainda a caminho da bondade.
 
Devemos agradecer pelo trabalho que nos foi confiado os de ordem material (necessário ao nosso sustento) e os de origem espiritual (necessário para a nossa evolução) e é do agradecimento ao  trabalho espiritual que quero falar.
 
Porque sempre acreditamos que merecemos mais do que temos e não estou falando de bens materiais, estou falando de bens espirituais (leia-se felicidade, ausencia de sofrimentos, amor, reconhecimento, respeito, dentre tantos outros) e diante dessa crença na "injustiça" nos recusamos a agradecer afinal de contas o discurso é: sou honesta, justa, sou trabalhadora, sou isso sou aquilo e daí  ouvimos aquela vozinha interior a nos interpelar já deixou de ser orgulhosa, egoísta, a vaidade não mais te acompanha e a resposta é um sonoro NÃO.




Não conseguimos abandonar os nossos defeitos, então ainda não merecemos que a dor nos abandone. Sabe porque ainda sofremos, porque ainda não aceitamos que ele é parte da evolução humana e que a dor é o amor adoecido e que a cura virá apenas quando nosso ser transbordar de amor que é o remedio para curar a dor.
 
Muitas vezes me pego remoendo o passado e questionando os porques dos acontecimentos da minha vida e por mais dificil que possa ser e é cada um sabe a medida exata da sua dor temos que persistir na aceitação e aprender a agradecer, essa é uma luta diária vamos em frente.
 
Dica de hoje: Quando começarmos a lamentar os acontecimentos difíceis da vida, devemos ao menos tentar alterar a faixa mental e agradecer, pois basta olhar para o lado e vamos perceber muitosd de nossos irmãos passando por dificuldades maiores que as nossas e que muitas vezes, fazemos tempestade em copo d'agua, sei que é facil falar (palpitar é bom) e muito dificil fazer sabemos disso, mas precisamos tentar. Somente com esforço vamos mudar a nossa faixa mental o segredo é não desistir nunca.
 
Temos duas opções: amar o nosso proximo e evoluir mais rapido ou cultivar o orgulho, ódio e estacionar no sofrimento. 

2 comentários:

Bruno Fonseca disse...

Bom, vou falar um pouquinho tb. Como tenho estudado o espiritismo, tenho consciência de que essa é a visão da Doutrina no que tange a necessidade de resistir resignadamente às agruras da vida terrena.
Mas vou um pouco além para dizer que, ainda que a Doutrina seja mais incisiva nesse aspecto, o fato é que deveríamos ter a obrigação de nos amarmos uns aos outros e nos ajudarmos por uma mera questão moral, mundana. Como é possível um outro ser humano não ter o que comer e nós simplesmente não o ajudarmos? Não pode ser normal isso. Então, fatalmente o caminho do amor ao semelhante é o único que pode nos salvar desta barbárie que esta virando a sociedade. É nossa obrigação.
Boa reflexão! Beijos!

Oscilange disse...

Isso mesmo Bruno como conseguimos ser insensiveis com as agruras que acomete o nosso semelhante....O espiritismo é sim o meu guia de bolso e ainda vacilo todos os dias, mas vamos chegar lá. Obrigada pela visita aqui...bjos